Ajudando a preservar a vida

Preservando a vida

IBBN será um posto de coleta e de divulgação do projeto de reciclagem

Igreja batista encampa projeto de reciclagem de pet e óleo de cozinha

A Igreja Batista Boas Novas (IBBN), de Cuiabá, já colocou em prática a sua primeira ação inspirada pela Carta de Niterói, resultado da 91ª Assembleia da Convenção Batista Brasileira (CBB), realizada em entre os dias 21 e 25 de janeiro em Niterói (RJ). Seguindo o tema dos batistas brasileiros para o ano de 2011, “Vida Plena e Meio Ambiente”, a IBBN lançou oficialmente no dia 27 fevereiro a campanha de reciclagem “Ajude a Preservar a Vida”.

A campanha é uma parceria entre a IBBN, o Governo do estado, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente de Mato Grosso (Sema), a Indústria de Tintas Maxvinil e o Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira de Mato Grosso (Cipem).

O projeto se propõe a recolher garrafas pet e óleo de cozinha usado para reciclagem. A igreja é a primeira parceira no projeto e será um posto de coleta e difusão da campanha, que deve ser estendida também a outras igrejas batistas do estado, organizações não-governamentais, movimentos comunitários e entidades de classe e clubes de serviços.

O lançamento da campanha contou com a presença do governador de Mato Grosso, Silval Barbosa (frequentador da IBBN há sete anos), do titular da Sema, Alexander Maia (que é diácono e diretor do Ministério de Evangelismo e Missões da IBBN), do diretor executivo do Cipem, Álvaro Leite, e do diretor presidente da Maxvinil, Joaquim Augusto Curvo.

Para o pastor da IBBN, Carlos Henrique Ribeiro, o Projeto Reciclagem encaixa-se perfeitamente ao que as igrejas batista se propuseram a trabalhar este ano como tema central de reflexão e ação cristã. “Nossas igrejas estão empenhadas na campanha nacional ‘Vida Plena e Meio Ambiente’, que tem por objetivo despertar em todo batista a responsabilidade em relação ao meio ambiente. O Projeto Reciclagem vem ao encontro do nosso movimento e todos os pastores contatados estão mostrando interesse em participar.

Creio que a campanha irá dar um bom retorno, conscientizando nossos membros”, ponderou o pastor.

O diácono Alexander Maia, por sua vez, salientou a importância dupla do projeto. Ele explicou que a participação da membresia da IBBN no projeto, além de proporcionar a oportunidade de uma ação de responsabilidade cristã em defesa do planeta, um presente de Deus para os homens, vai auxiliar também nas obras missionárias da igreja. Os recursos que a igreja vier a arrecadar com a entrega dos materiais recicláveis (garrafas pet e óleo de cozinha usado) serão destinados ao sustento de missões evangelizadoras.

Maia destacou também que o Projeto Reciclagem é um piloto que, a partir da IBBN, poderá ganhar proporções inimagináveis, pois deve contar com a adesão de igrejas da Convenção Batista Brasileira em Mato Grosso, associações de moradores, condomínios, associações e sindicatos de classe, organizações não-governamentais, clubes de serviços, entre outras instituições.

Já o governador Silval Barbosa, ao falar sobre a parceria com a IBBN, frisou que “cada um fazendo sua parte permitirá que se tenha um meio ambiente melhor para viver”. Silval afirmou que o lançamento marca o início de vários programas da Sema, que contará com a participação de outras entidades. “A Igreja Batista Boas Novas, com apoio do pastor Carlos Henrique Ribeiro, ao aderir ao projeto, abre espaço a outras igrejas que queiram também participar”, argumentou.

Como funciona o Projeto Reciclagem?

A igreja será um centro de informações e de coletas do projeto. Todo o material arrecadado pela igreja será comprado pela empresa Tintas Maxvinil, e os recursos poderão ser usados da melhor maneira possível.

As garrafas pets, ao serem recicladas, voltarão a se tornar embalagens utilizáveis. No processo de reciclagem cada seis garrafas pet geram cinco novas embalagens.

Em Mato Grosso o nível de reciclagem de garrafas pets ainda é muito baixo. Das cerca de 1.200 toneladas do produto comercializado todo mês no estado, menos de 300 toneladas são recuperadas pela reciclagem. Ou seja, ao menos 900 toneladas de embalagens do tipo pet são lançadas na natureza todos os meses no estado e acabam poluindo rios e áreas urbanas.

Já o óleo de cozinha, após ser usado, normalmente é jogado diretamente no ralo da pia pelas donas de casa ou, no caso de restaurantes e bares, acaba misturado ao lixo orgânico ou dispensado em embalagens inapropriadas. Esse material, altamente poluente, contamina rios, córregos e lençóis freáticos. Apenas um litro de óleo pode poluir mais de 1 milhão de metros cúbicos de água.

Com o projeto de reciclagem, o óleo de cozinha será reaproveitado pela indústria Maxvinil para a produção de tintas. No Brasil, cerca de 30% das tintas já utilizam óleos vegetais em sua composição. Para que este material seja aproveitado, as entidades participantes do projeto, como a IBBN, receberão e distribuirão aos seus membros uma embalagem específica para o recolhimento de óleo usado com capacidade para até dois litros.

ANTÔNIO PACHECO

Comunicação da IBBN

* Matéria originalmente publicada em O Jornal Batista em 20 de março de 2011.

Anúncios
Esse post foi publicado em Igreja, Notícia, OJB, Sustentabilidade. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s